9 comentários:
De adnirolfpa a 21 de Julho de 2008 às 15:05
Obrigada por partilhares experiências tão belas.
Cada um de nós guarda em si momentos em que se sentiu ligado a Jesus de uma forma ou de outra. Ao partilharmos dá-mos um pouco do que sentimos aos outros.
beijinho
(Gostei muito da letra da musica)
De Lala a 22 de Julho de 2008 às 00:01
Olá.
Obrigado por entenderes este momento de abertura espiritual.
Nem todos tem capacidade para o fazer.
muitas vezes, por falarmos assim abertamente de Cristo, somos mal entendidas, gozadas, e mesmo humilhadas.
Custa muito, na sociedade de hoje, viver a religiosidade em plenitude e com verdadeira abertura.
Bjinhos.
De Rosa Silva ("Azoriana") a 22 de Julho de 2008 às 00:35
Já fui "anjo", já fui "diabo"
Já fui jovem, sou mulher,
Mas daquilo que me gabo
Foi um Cursilho fazer.

Dos três dias não esqueço,
Foram em noventa e cinco,
No entanto, desfaleço,
Por ter perdido o afinco.

Eu amo sempre o Bom Deus,
Mas o tempo nos apaga...
Vivo junto com os meus,
Sua Palavra me afaga.

Dentro do meu pensamento,
Por vezes, desenfreado,
Há sempre algum tormento,
Em virtude dum passado.

Lembro, então, dos belos dias,
E dá-me uma amargura:
Vivi sim mais alegrias,
Por abraçar tal ternura.

A ternura do Senhor
Que nos dá os bons caminhos;
E quem for Seu seguidor
Nunca os passos vão sozinhos.

Bjinhos
De Rosa Silva ("Azoriana") a 21 de Julho de 2008 às 18:30
Entendo-te perfeitamente porque também vivi essa vivência.
Alerto-te, no entanto, para o tempo. Com o passar do tempo "morre" algum entusiasmo mas o Amor fica para sempre, independentemente do que a vida nos prepara.
Com Ele tudo, sem Ele nada. Decolores
De Lala a 21 de Julho de 2008 às 23:58
Olá amiga.
Benvinda a esta tua casa.
Foi com grande alegria que li o teu comentário.
E com maior alegria ainda, que percebi que também tu já tinhas vivido esta experiência tão maravilhosa.
Volta sempre.
Serás sempre bem recebida.
Abraços em Cristo.
Decolores.
De Rosa Silva ("Azoriana") a 22 de Julho de 2008 às 00:33
Já fui "anjo", já fui "diabo"
Já fui jovem, sou mulher,
Mas daquilo que me gabo
Foi um Cursilho fazer.

Dos três dias não esqueço,
Foram em noventa e cinco,
No entanto, desfaleço,
Por ter perdido o afinco.

Eu amo sempre o Bom Deus,
Mas o tempo nos apaga...
Vivo junto com os meus,
Sua Palavra me afaga.

Dentro do meu pensamento,
Por vezes, desenfreado,
Há sempre algum tormento,
Em virtude dum passado.

Lembro, então, dos belos dias,
E dá-me uma amargura:
Vivi sim mais alegrias,
Por abraçar tal ternura.

A ternura do Senhor
Que nos dá os bons caminhos;
E quem for Seu seguidor
Nunca os passos vão sozinhos.

Bjinhos
De Chicailheu a 21 de Julho de 2008 às 19:35
DECOLORES AmigA!

Eu sei bem o que isso é, pois já passei por essa experiência maravilhosa, há alguns anos atrás.
Não é difícil estar aqueles 3 dias fechada...difícil é vir cá para fora e querer passar a mensagem e ser mal interpretada e mal entendida!
Também saí com uma vontade enorme de falar de DEUS a tudo e todos...mas, fui encontrando portas trancadas e as minhas palavras fizeram eco cá dentro da minha alma!
Até injuriada fui, mas ouvi e sofri calda em nome do me SENHOR!
Hoje, mais madura, procuro falar DELE só a pessoas que acho que estão em sintonia comigo, pois com as outras é deitar pérolas a porcos.
É tudo muito complicado, pois sabes que a maioria das pessoas não querem saber de nada, muito menos dos Curos de Cristandade!

Que DEus te dê forças para nunca desanimares e continuares a tua caminhada de Fé!
Beijinhos e fica bem.
Chicailheu

De Lala a 21 de Julho de 2008 às 23:55
Olá amiga.
São emoções que nunca esquecem, vivamos nós 100 dias ou 100 anos.
E quanto aos outros nos compreenderem, resta-nos apenas rezar para que um dia vivam Cristo como nós o vivemos.
Bejinhos
De Rosa Silva ("Azoriana") a 22 de Julho de 2008 às 00:37
Comentei mas julgo que se passa qualquer problema. Deixa ver se vejo este entrar

Opinar