Quarta-feira, 9 de Abril de 2008

Bom Dia, Um Dia Radioso...

Sinto-me: Bem Disposta
Música: "A Wonderfull World" - Frank Sinatra
Publicado por Lala às 10:26

Link do post | Dê Opinião | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 8 de Abril de 2008

Boa Noite e Bons Sonhos

 

 

Sinto-me: Irritada

A Chuva...

 

 

Lá fora a chuva cai

Ora mansa, ora forte,

Límpida, transparente

Alagando tudo e todos.

É um doce canto

Canto ao qual falta poema.

As nuvens cinzentas são veludo,

Veludo terno e macio,

Que acaricia tudo à sua volta.

A relva, as árvores, as gentes,

Cobertas de pinguinhos reluzentes,

Parecem enfeitadas para o Natal.

Que bom é ouvir a chuva a cair;

Deitada entre os lençois...

Quentinha e aconchegada.

Mas pobres daqueles,

Que não tendo casa,

Não tem lençois quentes onde se aninhar.

 

Sinto-me: Friorenta
Música: ???
Sábado, 5 de Abril de 2008

Aos amigos que a vida me deu...

 

A AMIZADE é um sentimento lindo, profundo, que se for verdadeira e sincera, nem a distancia nem o tempo, podem apagar.

Dedico este post a todos os meus amigos, irmãos de coração que a vida me deu, anjos divinos que Deus colocou no meu caminho.

Obrigado amigos por todo o apoio, carinho, compreenção,... e paciência que têm tido comigo.

Amigo não escolhe situação nem hora...

Chega, sofre junto: Compartilha

Oferece seu ombro, sua alegria: Partilha

Connosco ri e chora.

Ser amigo é ser irmão e conselheiro,

Confidente e companheiro,

Ser amigo é ser assim!

Sinto-me: Friendly
Música: "Friends forever" - Vitamin C
Quinta-feira, 3 de Abril de 2008

História sem Nome... (4)

 

A noite estava abafada. Cheirava a foguetes e a farturas, a pipocas e algodão doce.

De um lado para o outro, as pessoas passeavam alegres e faladoras.

Às 21 em ponto, Miguel estava encostado à montra do Athanásio, Joana ainda não tinha chegado.

Miguel olhava ansioso o relógio da Sé, enquanto tentava vislumbrar Joana por entre a multidão.

Eis que ela surge, vinda do lado da Praça Velha, calça jeans à moda, camiseiro branco levemente aberto, sapatilhas...

- Pareces uma princesa!

- Credo! Só estou de jeans e camiseiro! Qual é o espanto?

- Para mim, pareces uma princesa.

- Está bem. Fica como tu quiseres. A que horas é o concerto?

Às 22:30. Ainda algum temos tempo. Queres ir tomar alguma coisa?

- Pode ser.

- Então vamos até às tasquinhas do Bailão.

E foram subindo a Rua da Sé em direção ao Serrado do Bailão, conversando alegremente sobre as banalidades da vida.

- Então conheces bem a Terceira, não é?

- Conheço, já venho cá desde pequena.

- E já tinhas vindo às festas?

- Sozinha não. É a primeira vez, costumava vir com os meus pais.

- Oh! E estás a ficar onde?

- Em casa de uma irmã da minha mãe.

Ao chegarem ao Bailão, a multidão parecia que triplicara, tamanha era a quantidade de gente.

- Vamos nos perder um do outro.

- Dá-me a tua mão.

Joana obedeceu, e ao sentir a mão quente e macia de Miguel a tocar a sua, o seu corpo foi percorrido por um grande e intenso arrepio.

- O que foi?

- Nada. Um arrepio de frio.

(continua)

Sinto-me: Inspirada
Música: "verão Azul" - FF
Quarta-feira, 2 de Abril de 2008

História sem Nome... (3)

 

- Olha agora tenho de ir almoçar, mas se quiseres podemos encontrar-nos mais tarde.

- Está bem. Aqui às 14, está bom para ti Miguel?

- Está combinado. Aqui às 14. Até logo.

O almoço correu lento, a ansiedade para aquele encontro inesperado, era maior a cada minuto.

O tempo passou e finalmente chegaram as 14 horas. Num passo apressado dirigiram-se os dois para o lugar marcado, cada um seguindo o seu caminho.

Havia naquele encontro algo de diferente, não era romance, não era sedução... Era o encontro de duas almas gémeas, Joana sentia que aquele rapaz sempre tinha pertencido à sua vida, mesmo sem nunca o ter visto.

Era estranho...

Chegaram ao mesmo tempo vindos de pontos opostos da cidade. Ficaram olhando um para o outro à espera que o outro desse o primeiro passo, fizesse a primeira sugestão.

- Onde vamos?

Perguntaram os dois ao mesmo tempo, desatando logo à gargalhada.

-Não sei. Tens alguma ideia Miguel?

-Não e tu Joana?

-Nem por isso. Olha podiamos ficar por aqui a conversar...?

-Pode ser. Mais logo vai haver um espectaculo de malabarismo de rua e podiamos ir ver.

- OK. Ficamos por aqui por agora a vamos então mais tarde a esse espectaculo.

Desceram juntos até à pequena praia deserta, e sentaram-se na areia a conversar, a contar histórias passadas, a fazer confidencias como velhos conhecidos.

- Isto é tão estranho!

- O quê Joana?

- Nunca tinha falado assim da minha vida com um estranho! Sim, porque tu és um estranho para mim.

- É verdade, eu também nunca tinha falado assim com ninguém, parece que sempre te conheci... sinto uma confiança estranha, uma intimidade que nunca senti antes por ninguém.

- Gosto tanto de estar aqui, assim a falar contigo, fazes-me sentir bem...

Miguel sorri e passa delicadamente a mão pelos cabelos de Joana.

- O que foi isso?

- Desculpa... Não sei explicar... É melhor irmos embora. Vai começar o espectáculo não tarda nada.

-Tens razão. É melhor.

A tarde foi divertida. Muita música, cor, gargalhadas...

Era já tarde quando se separaram.

- Que vais fazer logo à noite? Há um concerto. Queres vir comigo ou tens planos?

- Não Miguel. Não tenho planos nem tinha companhia para sair, por isso aceito de bom grado.

- Então logo às 22 ao pé da Pasteleria Athanásio, em frente à Sé.

- Não te atrases.

(continua)

História sem Nome... (2)

 

   Joana sorriu.

   - São uns olhos normais. Qual é o espanto?

   Um rubor sobe às faces alvas de Miguel, as palavras faltam-lhe.

   - Normais? Isso foi porque nunca os viste com outros olhos, como eu os vi no primeiro dia em que te vi.

   Joana já não sorria, soltava risadinhas de troça. Era a cantada menos original que já tinha ouvisto.

   - Vais me desculpar, mas essa conversa já é mais velha do que aqui a cidade de Angra. Se queres alguma coisa, ou tens de ser mais directo ou vais ter de ser mais original que isso.

   Os olhos de Miguel encheram-se de sombras, sombras de tristeza, estava a ser sincero, puro de coração, e ela não acreditava numa só palavra.

   Joana reparou no escurecer nos olhos de Miguel e logo apreçou-se a dizer:

   - Desculpa. Fui bruta contigo. Se calhar estavas a ser sincero eu, já farta de cantadas baratas, tomei-te um mais um menino mimado que só quer passar um Verão agradável com uma menina do continente. Sabes, eu não nasci cá, mas tenho sangue terceirense. Os meus pais são de cá, e venho cá passar férias desde que me conheço. Conheço o jeito engatatão dos terceirenses.

   - Mas eu não sou assim. Estava a ser sincero quando elogiei os teus olhos, além disso supus logo que eras de cá. Os teus olhos tem o brilho do nosso mar, a tua pele o calor do nosso sol.

   Joana sorriu, agora já sem a desconfiança de antes.

   - Vamos começar de novo. Muito prazer, o meu nome é Joana.

   Com um sorriso Miguel levanta-se de um salto estende-lhe a mão e comprimenta-a também.

Iniciava-se uma nova etapa.

 

 

(continua) 

Sinto-me: Apaixonada (pela escrita)
Música: Verão Azul - FF
Terça-feira, 1 de Abril de 2008

Revolução da Alma...

 

     Ninguém é dono da sua felicidade, por isso não entregues a tua alegria, a tua paz, a tua vida nas mãos de ninguém, absolutamente ninguém.

Somos livres, não pertencemos a ninguém e não podemos querer ser donos dos desejos, da vontade ou dos sonhos de quem quer que seja.

     A razão da tua vida és tu mesmo. A tua paz interior é a tua meta de vida, quando sentires um vazio na alma, quando acreditares que ainda está faltando algo, mesmo tendo tudo, remete o teu pensamento para os teus desejos mais intimos e busca a divindade que existe em ti.

     Pára de colocar a tua felicidade cada dia mais distante de ti.

     Não coloques o objectivo longe demais das tuas mãos, abraça os que estão ao teu alcance hoje. Se andas deseperado por problemas financeiros, amorosos ou de relacionamentos familiares, busca no teu interior a resposta para te acalmares. Tu és reflexo do que pensas diáriamente. Pára de pensar mal de ti mesmo(a), e sê e teu melhor amigo(a) sempre.

     Sorrir significa aprovar, aceitar, felicitar. Então abre um sorriso para aprovares o mundo que te quer oferecer o melhor.

     Com um sorriso no rosto as pessoas terão as melhores impressões de ti, e tu estarás afirmando para ti mesmo(a) que estás pronto(a) para ser feliz.

     Trabalha, trabalha muito a teu favor.

     Pára de esperar a felicidade sem esforços. Pára de exigir das pessoas aquilo que nem tu conquistaste ainda.

     Critica menos e trabalha mais. E, não te esqueças nunca de agradecer.

     Agradece tudo o que está na tua vida neste momento, inclusive a dor. A nossa compreenção do universo, ainda é muito pequena para julgar o que quer que seja na nossa vida.

     A grandeza não consiste em receber honras, mas em merece-las.

(Aristóteles - ano 360 a.C.)

Sinto-me: Sem palavras
Música: Velha Infância - Tribalistas

.Conhece-me

.Setembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.Memórias Recentes

. Apaixonada...

. To an Angel...

. "Sou fã..."

. O primeiro encontro... 3

. O primeiro encontro... 2

. O primeiro encontro...

. Olá a todos... Voltei

. Som do coração

. Que saudadessssssssssssss...

. Tenho saudades...

.Memórias Passadas

. Setembro 2011

. Fevereiro 2011

. Novembro 2010

. Outubro 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.tags

. todas as tags

.Pesquisar neste blog

 
blogs SAPO

.subscrever feeds