Quarta-feira, 29 de Outubro de 2008

Beijo...

(Imagem tirada da net)

 

Num beijo perco-me.

Perco as forças de resistir

Mas ganho as forças de amar,

De seduzir, de atraiçoar.

 

Num momento de paixão,

Perco a razão e a lucidez.

Mas ganho sonhos,

Sonhos que me fazem perder o sono.

 

Beijo...

Loucura, tesão, emoção.

Ruela escura por onde me perco e te encontro.

Abraço, quente e firme que me envolve e seduz.

 

Toque...

Que me arrepia só de pensar.

Lembrança que me faz querer te pegar.

Calor que percorre todo o meu corpo.

 

Olhar...

Que entra bem fundo dentro de mim,

E põe a nú tudo o que sou.

Me expõe, me mostra, me devora.

 

Querer sentir esse beijo...

Pecado.

Querer sentir esse toque...

Loucura.

E no fim é só sonho...

Frustração.

 

 

 

 

 

Sinto-me: Com vontade de beijar
Música: Deixa-me Olhar - Imperio dos Sentados
Sexta-feira, 17 de Outubro de 2008

Sedução...

 

 

Sedução...

Palavras que se dizem no calor da emoção.

Que nos perturbam e fazem sonhar.

Palavras que mexem com o mais intimo de nós.

 

Palavras ditas por alguém intimo

Ou por um simples desconhecido.

E que nos fazem vibrar

Que nos fazem sentir as mais escaldantes sensações.

 

Sedução...

Seduzir e deixar-se seduzir.

Jogo perigoso e apaixonante

Que nos faz cometer loucuras em nome do prazer.

 

Olhares quentes e húmidos

Que nos trespassam a alma

Caricias proibidas que nos provocam arrepios,

Beijos calorosos dados no escuro das sombras.

 

Sedução...

Paixão...

Tesão...

Traição...

Emoção...

Sinto-me: Sedutora
Música: Amor de sedução - Mikefoxx
Segunda-feira, 6 de Outubro de 2008

Irene...

(Imagem tirada da net)

 

 

Irene era uma mulata bela e provocante.

Trabalhava num laboratório de uma faculdade qualquer, era solteira e vivia longe da família.

O trabalho, sem horas de entrada e saída e a sedução ocupavam-lhe todo o tempo e todas as forças.

Irene era volumptuosa, cheia de curvas e volumes. Os homens que trabalhavam junto dela, babavam-se à sua passagem. As suas tentativas de sedução raramente eram rejeitadas.

Muitas foram as vezes que se entregou a colegas de trabalho, ali mesmo no escritório, com o perigo eminente de serem apanhados.

Mas Irene não vivia feliz, todas aquelas relações não passavam de sexo ocasional, e ela queria mais, queria um homem que a amasse verdadeiramente, que a respeitasse, que não a visse como um pedaço de carne.

No mesmo gabinete, trabalhava um rapaz, aparência simples, bonito, simpático...

Já há algum tempo que Irene o observava com olhos gulosos, mas ele não lhe correspondia, ou então fazia que não entendia os olhares dela.

Um dia, já farta de esperar, entrou pela sala dele com o pretexto de entregar uns papeis e foi-se aproximando do rapaz.

As curvas de Irene não lhe eram indiferentes, mas Rudolfo tentava resistir a todo o custo. Era namorado, e sabia que as seduções de Irene geralmente saiam caras a quem se deixava levar por ela.

Mas ela estava determinada, ia conquistar Rudolfo.

Nesse mesmo dia, já mais tarde, quando já ninguém se encontrava no gabinete, voltou à sala de Rudolfo.

Rudolfo percebeu o que se ia passar, e tentando evitar o confronto, sentou-se à secretária. Mas Irene não se deixou intimidar, apróximou-se, arredou a cadeira e sentou-se ao colo de Rudolfo. Ele estava em brasa. E ela falava , falava e ia se colando a ele cada vez mais.

Rudolfo já não se conseguia controlar, a sua erecção já era visivel por fora das calças cor de caqui, as mãos trémoles e suadas, dirigiam-se tentadoramente para os seios de Irene, e que seios, grandes, firmes, tentadores, da cor do bom-bom mais doce...

Ela provocadora, ao reparar no estado em que se encontrava Rudolfo, pousou devagar os papeis em cima da secretária e com muita suavidade pôs a mão dentro das calças de Rudolfo e foi mastrubando-o em caricias suaves e provocadoras.

Ele já não aguentava mais, o seu pénis pulsava como uma bomba perto de explodir.

- Porque me fazes isto? Tu sabes que estou namorado.

Irene sorria, provocante e tentadora.

- Faço-o porque te quero, quero-te sentir dentro de mim, quero sentir o teu calor, quero sentir a tua lingua molhada enrolada na minha...

- Mas isto não está certo... somos colegas de trabalho...

-Qual é o problema?

E levando Rudolfo pela mão, como quem leva uma criança indefesa, vão para a casa de banho. Irene tranca a porta, e ataca.

Já nada a podia travar, e Rudolfo, já há muito se deixara vencer.

O que se passou naquela casa de banho... é difícil de descrever.

As roupas arrancadas dos corpos com violência, beijos, dentadas, arranhadelas...

Foi sexo, do mais selvagem que já alguma vez Rudolfo tinha feito.

Irene era uma mulher poderosa, sabia como derrotar um homem, e Rudolfo, fascinado pela arte de Irene, deixou-se levar neste mar de volupia e sedução.

Já era tarde quando sairam da casa de banho, as portas do gabinete estavam trancadas, estavam fechados lá dentro.

Sozinhos, os dois, com a noite pela frente...

 

 

 

 

 

Sinto-me: Provocante
Música: Like a virgin - Madonna
Quarta-feira, 7 de Maio de 2008

Angra em Chamas de Paixão... 2

A noite cai. No interior do seu esconderijo, Camila, assim se chamava ela, veste-se para seduzir.
É uma predadora da noite, sedenta de aventura e prazer.
Vestido vermelho muito curto, as pernas torneadas e benfeitas, botas pretas até aos joelhos.
Cabelos curtos, pretos como a noite, maquilhagem simples mas sensual, perfume hipnotizante.
Camila sai de casa e entra o taxi que a aguarda à porta, o condutor baba-se ao olhar para ela.
- A menina desculpe que lhe diga, mas está uma brasa.
Camila nem repara no piropo. Tem a cabeça noutro sítio.
- Onde quer que a deixe?
- Em qualquer canto, depois eu mando parar.
E continuam o caminho. Derrepente...
- Pode parar aqui.
Camila paga a bandeirada e sai. Percorre agora as ruas em busca da sua vítima.
Nos cantos escuros da cidade, os casalinhos apaixonados ronronam como gatos no cio.
Camila passa e olha, vai crescendo dentro dela um apetite cada vez maior.
Junto ao porto, um grupo de rapazes de copos na mão, conversam animadamente. 
Ao longe Camila escolhe em silêncio, qual deles vai ser o seu companheiro de noite.
- Alguém me paga um copo?
Os rapazes, susprendidos por aquela abordagem exitam.
- Então! É tudo maricas aqui?
Fábio, um rapaz forte e bem constituido sai do grupo e dirige-se a ela.
- É só o copo que queres? Ou tens mais alguma coisa em mente?
Ele tinha caido no laço. Camila, sedutora, enrosca-se nele como uma piton na sua presa.
- Isso depois vê-se...
E saem os dois abraçados em direcção ao bar.
- O que queres beber?
- Um Gin Tónico.
- É um Gin e uma cerveja.
Pegam nas bebidas e sobem à discoteca. A música  ensurdecedora não permite conversas.
Dançam numa cadencia hipnótica e viciante. Roçam os seus corpos um no outro.
Fábio, já embriagado, começa a perder a noção da compustura.
Agarra Camila, quer despi-la, nem repara que todos os olhos estam postos em cima deles.
- Aqui não. Vamos sair daqui.
E como dois animais sedentos de prazer, saem da discoteca. Passam pelos amigos, estes ainda chamam por eles, mas Camila e Fábio nem os ouvem.
Estão embriagados pelo alcool e pelos corpos um do outro.
Afastam-se até uma rua escura, Fábio, desejoso de a possuir, encosta-a à parede, levanta-lhe o vestido... e num gesto de agressão rasga-lhe as cuecas.
Camila geme de prazer, tinha conseguido o seu intento, apanhara uma presa, que nem sabia que o era.
Era esse o seu método, deixar parecer que tinha sido ela a seduzida.
Com o corpo a tremer, e o sexo duro como uma rocha, Fábio penetra-a, e em vai-vens de prazer, envolvem-se ali no meio da rua em jogos de fogo e sedução.
Sinto-me: Inspirada
Música: Run to you - Whitney Houston
Quinta-feira, 24 de Abril de 2008

Tu...

 

Tu...

Corpo quente e sedutor...

Que me tentas com o olhar,

Que me provocas com palavras.

.

Tu...

Que me deixas ardente de desejo...

Com o corpo em alvoroso,

Com o simples pensamento,

De que me possas tocar.

.

Tu...

Homem sombra, imaginário...

Que assola a minha alma,

Descontrola os meus sentidos,

E me faz querer pecar.

.

Tu...

Que invades os meus sonhos...

Perturbas o meu sossego,

E me fazes delirar.

.

Tu...

Que nem sei bem se existes...

Se és fruto da imaginação,

De tão confusa que me sinto,

Quando entras nos meus pensamentos.

 

Tu...

Homem sedução...

Pecado carnal,

Da minha imaginação.

Sinto-me: Apaixonada
Música: When a men loves a women

.Conhece-me

.Meu Tempo

.Setembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.Visitantes

search engine marketing company
provided by Inteliture.com
Photobucket Photobucket

.Meus Selos

:: LEVA-ME ::


:: APROVADO ::


Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

.Memórias Recentes

. Beijo...

. Sedução...

. Irene...

. Angra em Chamas de Paixão...

. Tu...

.Memórias Passadas

. Setembro 2011

. Fevereiro 2011

. Novembro 2010

. Outubro 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.Blogs Amigos

.Eu Participo

.tags

. todas as tags

.Pesquisar neste blog

 

.Prendas Carinhosas

.Campanhas

blogs SAPO

.subscrever feeds