Sexta-feira, 20 de Junho de 2008

Acabou o sonho Europeu...

 

                                 

 

Ontem acabou o sonho português de chegar á final do Euro 2008.

Com uma prestação fraquita, e uma arbitragem com muito a desejar, acabou o sonho da nossa selecção e de todos os portugueses.

Lamento muito rapazes, fica para uma próxima.

 

Sinto-me: Desiludida
Música: A Portuguesa
Domingo, 27 de Abril de 2008

Um dia... (o final)

 

- Meu amor, tenho fome.
- O que é que queres comer?
- Qualquer coisa serve.
- Vou te fazer uma sandes, queres?
- Pode ser. Enquanto fazes a sandes, eu vou tomar um duche.
E levantando-se sensualmente envolta no lençol dirige-se á casa de banho.
Ele segue-lhe os passos despindo-a com o olhar, e antes de desaparecer, deixa cair o lençol, revelando as formas cheias do seu corpo nu.
- Meu amor, onde está o sabonete?
- Está aí, não o vês?
- Não, vem cá dizer onde está.
Ele entra e vê-a, nua, com a água a escorrer-lhe pelo corpo.
Ela aproxima-se, e ela sedutora e provocante pergunta se ele não lhe quer lavar as costas. E ao aproximar-se, ela puxa-o para dentro duche.
Os corpos alagados, o sabão a escorrer pelas mãos, os toques delicados e sensuais.
- Tu estás a provocar-me.
- Eu quero ter-te outra vez, uma ultima vez.
E então sedento de amor e paixão, ele cedeu aos encantos dela, e mais uma vez, eles se entregaram um ao outro, num misto de paixão e ternura, que nunca tinham sentido antes.
- Foi a última vez. Isto não voltará a acontecer.
-Porquê? Eu amo-te.
- Não amas nada. Tu amas o teu marido. Isto é apenas uma ilusão. Um sonho vivido a dois que nunca aconteceu.
E assim ele afasta-se, deixando para trás uma pequena mas intensa história de paixão.
Ela ainda tenta seduzi-lo novamente pedindo-lhe a toalha, mas ele não cede.
Era o fim.
Ela sai do duche envolta numa toalha minúscula, seca o corpo ainda húmido de prazer, veste-se, e saindo despede-se dizendo:
- Nunca te irei esquecer.
Sinto-me: With a broken heart
Música: Be without you - Mary J. Blige
Sábado, 26 de Abril de 2008

Um dia... (4)

 

 

Ela estava endiabrada. Ela sem saber o que fazer tentava resistir a todo o custo.

- Vem cá. vem te deitar junto de mim.

- Não. Tenho de fumar um cigarro. Isto está a por-me nervoso. Tens cigarros?

- Tenho, estão na minha mala. Eu vou buscar.

E levantando-se toda insinuante vai buscar os cigarros. Passa por ele só em langerie, roça-se nele, provoca-o.

- Pára com isso!!!

- Mas o que foi? O que é que eu estou a fazer?

- Tu sabes. Estás a tirar-me do sério.

- Jura!?! É essa a intenção.

Abre a mala tira dois cigarros, acende um e entraga-lho, depois acende o outro e encostando-se a ele começa a fumar.

- Estás muito diferente hoje. Estás mais calado. Ontem estavas mais divertido.

- O que é que queres? Deixaste-me nervoso.

- Gosto mais de te ver sorrir. Estás tão sério.

Mas ela não desistia, estava decidida a seduzi-lo, tal como ele fizera com ela na véspera. Aos poucos, com jeitinho começa-lhe a fazer carinhos, tentando deixá-lo mais descontraido.

- Anda. Vem cá.

E dando-lhe a mão leva-o para a cama.

- Não fazemos nada se não quiseres, deixa-me estar só aqui abraçada a ti.

Mas ela era maliciosa, como toda a mulher apaixonada. E aos poucos, foi tecendo uma teia de sensualidade em volta deles. Ele já não conseguia resistir mais. 

- Sabes?

- Diz. O que se passa?

- Já não estou com uma mulher há 4 anos.

- Não faz mal. Será como a primeira vez.

E beijando-a sofregamente possuiu-a numa atmosfera de paixão e desprendimento. Os sentimentos estavam ao rubro.

De repente ao olhar ternamente para ele, depois de se terem amado plenamente, ela vê uma lágrima a escorrer-lhe pela cara.

- Que se passa meu amor?

- Nada. Estou feliz e triste ao mesmo tempo.

- Porquê?

- Porque hoje, foi a primeira e a última vez que te tive nos meus braços.

- Não. Não digas isso.

- Tem de ser. Tu sabes disso. Isto não está certo. Tu tens um marido, uma família.

- Mas eu só te quero a ti.

E assim abraçados, choraram juntos aquele que seria, a primeira e a única vez que se amariam.

.

(continua)

Sinto-me: With a broken heart
Música: Unfaithful - Rihana
Domingo, 13 de Abril de 2008

A vida é assim...

 

 

A vida é assim...

Nem sempre nos amam como gostaríamos,

Nem sempre no compreendem como pracisavámos.

A vida é assim...

Nem sempre nos amparam com seria preciso,

Nem sempre nos acarinham como pedimos.

A vida é assim...

As dores às vezes são maiores que o suportável,

As lágrimas mais do que as que conseguimos limpar.

A vida é assim...

O desgosto é mais profundo do que alguns imaginam,

As feridas são mais graves do que os outros pensam.

A vida é assim...

Os pensamentos são mais negros que uma noite escura,

A vontade de morte assola-nos a alma.

A vida é assim...

Somos fantasmas na vida alheia,

Somos pedras nos sapatos dos outros.

A vida é assim...

Cara a cara somos os melhores,

Viramos as costas aparecem os traidores.

A vida é assim...

Sinto-me: Deprimida
Música: The last time - ?

.Conhece-me

.Meu Tempo

.Setembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.Visitantes

search engine marketing company
provided by Inteliture.com
Photobucket Photobucket

.Meus Selos

:: LEVA-ME ::


:: APROVADO ::


Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

.Memórias Recentes

. Acabou o sonho Europeu...

. Um dia... (o final)

. Um dia... (4)

. A vida é assim...

.Memórias Passadas

. Setembro 2011

. Fevereiro 2011

. Novembro 2010

. Outubro 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.Blogs Amigos

.Eu Participo

.tags

. todas as tags

.Pesquisar neste blog

 

.Prendas Carinhosas

.Campanhas

blogs SAPO

.subscrever feeds