Segunda-feira, 31 de Março de 2008

História sem Nome...

 

(Estou a escrever esta história, graças à inspiração de um amigo. É a ele que agradeço. "Esta é-te dedicada. Obrigado pelo emporrão. Espero que gostes.")

 

   O dia amanheceu claro...

   Pelas ruas da cidade fervilham os sons e os cheiros. A cidade está cheia de estranhos, são as festas da cidade, as famosas Sanjoaninas.

   Sentada numa esplanada, Joana, uma jovem turista em fim de curso devora sedenta um gelado.

   O corropio de gente entontece, Joana levanta-se e sai pelas ruas sem rumo certo, ao descer uma das artérias principais da cidade, detem-se às portas da cidade a olhar a baia.

   São 11 horas, o sol abrasador sufoca e convida a saborear as àguas limpidas da Baía de Angra.

   Mas, na pequena praia da baía, a multidão apinha-se, desejosa de sol e mar, então, Joaona segue junto ao mar, e ao longe vê uma nova praia, esta mais pequena e deserta.

  É ali que se detém, desce até ao pequeno areal, despe os jeans que lhe prendem os movimentos e caminha, semi-nua, pela areia.

   Derrepente um susto, uma voz que a surpreende, não está sozinha, há ali mais alguém, olha em redor, e vê sentado a um canto com um livro na mão, um rapaz, louro, pele alva, olhos claros, que a comtempla com ar guloso.

   - Desculpa, não queria assusta-la, mas já estava aqui quando chegou...

   De imediato Joana aproxima-se e responde:

   - Não me assustas-te, mas vinha tão embrenhada nos meus pensamentos que nem reparei em ti, aí tão quieto e concentrado no teu livro. Chamo-me Joana.

   - Muito prazer, sou o Miguel. Mas julgo que já a tinha visto. Não vieste no avião de 5ª feira de manhã de Lisboa?

   - Vim. Estou a estudar em Lisboa e vim cá de férias. Prenda de fim de curso dos meus pais.

   - Bem me queria parecer, esses olhos eu não os poderia esquecer...

(continua)

Sinto-me: Inspirada
Música: Verão Azul - FF
Domingo, 30 de Março de 2008

Estou Feliz...

 

 

É incrivel como as coisas mais simples e banais nos deixam num estado de felicidade tal que parecemos tolinhos, sorrimos por tudo e por nada...

Hoje é um desses dias...

Sinto-me muito feliz...

Obrigado amigo (tu sabes quem és).

                                                   Lala (",)

Sinto-me: Feliz
Música: "Rise up" - Yves La Rock

História de um amigo... (continuação)

 

Ao sairem... as posições invertem-se.

Agora é ela que o leva pela cidade, pelos becos e recantos escondidos na penumbra. O passeio prevê-se agradável, romântico...

Plas ruas escondidas da cidade eles conversam, riem, falam de banalidades e sentimentos.

O tempo passa, e eles nem dão por nada...

Escureceu, e andando descalços pla Prainha... O romance acontece...

A lua, a noite quente e sensual, envolve-os... Em menos de um nada estão enrolados na areia, os toques, os beijos, as juras de amor eterno trocadas... soam a ilusão...

Mas nada disso interessa...

Eles estão apaixonados, e a paixão é ummar de sensações, gostos e cheiros que não se conseguem entender nem controlar...

A noite passou...

O nascer do sol põe a nu todas as emoções ali vividas...

Está na hora de acordar...

Tinha sido um sonho... um sonho, um sonho que nunca tinha tido igual.

Parecia tão real, o mar, os cheiros, até o toque dele parecia real.

Ohhh!!!

Desilusão...

Afinal ela não tinha encontrado uma paixão no Verão...

(Amigo, quero pedir desculpa pla ousadia, mas não resisti. Tive de continuar a tua história. Sei que este pedaço não é teu, mas é de mim para ti com todo o carinho e emoção. Espero que gostes.)

Sinto-me: Atrevida
Música: "Tudo o que eu te dou" - Pedro Abrusosa

Flutuo...

 

Flutuo, consigo deslindar o meu gosto sem esforço

Balanço é o que a maré me dá e eu não contesto

O meu destino está fora de mim e eu aceito

Sou eu despida de medos e culpas, confesso.

 

Hoje eu vou fingir que não vou voltar

Despeço-me do que mais quero

Só para não te ouvir dizer que as coisas vão mudar amanhã

 

Flutuo, consigo deslindar o meu gosto sem esforço

Balanço é o  que a maré me dá e eu não contesto

Amanhã, pensar nisso sempre me dá mais jeito

Fazer de mim pretérito mais que perfeito

 

Hoje eu vou fingir que não vou voltar

Despeço-me do que mais quero

Só para não te ouvir dizer que as coisas vão mudar amanhã, amanhã

Hoje eu vou fugir para não me dar vontadede ser tua

Só pra não me ouvir dizer que as coisas vão mudar amanhã, amanhã, amanhã

Flutuo...

Susana Félix    

 

 

 

 

 

Sinto-me: Nostálgica
Música: Flutuo - Susana Félix
Sábado, 29 de Março de 2008

Silêncio...

 

Tinha-te a ti e velado

um sorriso

e a metáfora.

 

Tinha-te a ti e fugaz

a presença

e o futuro.

 

 

Tinha-te a ti e longínqua

a mão

e a ternura.

 

 

Tinha-te a ti e furtivo

um olhar

e a (in)certeza.

 

 

Tínhamo-nos a nós e pálidos

os lábios

e o silêncio.

 

Francisco Guedes, Inéditos

 

Bom Fim de Semana...

Publicado por Lala às 10:09

Link do post | Dê Opinião | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 28 de Março de 2008

Obrigado...

 

Estas flores que aqui posto, são para agradecer a um amigo especial, que mesmo sem saber quem sou, me tem dado alento para continuar este blog.

Muito obrigado Samuel pelo teu carinho e apoio.

Bjks para ti.

                                 Lala  (",)

Sinto-me: Envergonhada

Pedaço de Alma...

 

 

 

Quinta-feira, 27 de Março de 2008

Boa noite... Durmam bem... Sonhos doces...

 

 

 

 

Quase...

 

Um pouco mais de sol... eu era brasa,

Um pouco mais de azul... eu era além.

Para atingir,faltou-me um golpe de asa...

Se ao menos eu permanecesse aquém...

 

Assombro ou paz? Em vão tudo esvaído

Num grande mar enganador de espuma;

E o grande sonho despertado em bruma,

O grande sonho... ò dor! .. quase vivido...

 

Quase o amor, quase o triunfo e a chama,

Quase o principio e o fim... quase a expanção...

Mas na minh'alma tudo se derrama...

Entanto nada foi só ilusão!

 

De tudo houve um começo... e tudo errou...

- Ai a dor de ser... quase, dor sem fim...

Eu falhei entre os mais, falhei em mim,

Asa que se alançou mas não voou...

 

Momentos de alma que desbaratei...

Templos onde nunca pus um altar...

Rios que perdi sem os levar ao mar...

Âncias que foram mas que não fixei...

 

Se me vagueio, encontro só indícios...

Ogivas para o sol... vejo-as cerradas;

E mãos de heroi, sem fé, acobardadas,

Puseram grades sobre os precipícios..

 

Num ímpeto difuso de quebranto,

Tudo encetei e nada possuí...

Hoje, de mim, só resta o desencanto

Das coisas que beijei mas não vivi...

 

Um pouco mais de sol... e fora brasa,

Um pouco mais de azul... e fora além.

Para atingir faltou-me um golpe de asa...

Se ao menos eu permanessece aquém...

Mário de Sá Carneiro     

.Conhece-me

.Meu Tempo

.Setembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.Visitantes

search engine marketing company
provided by Inteliture.com
Photobucket Photobucket

.Meus Selos

:: LEVA-ME ::


:: APROVADO ::


Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

.Memórias Recentes

. Apaixonada...

. To an Angel...

. "Sou fã..."

. O primeiro encontro... 3

. O primeiro encontro... 2

. O primeiro encontro...

. Olá a todos... Voltei

. Som do coração

. Que saudadessssssssssssss...

. Tenho saudades...

.Memórias Passadas

. Setembro 2011

. Fevereiro 2011

. Novembro 2010

. Outubro 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.Blogs Amigos

.Eu Participo

.tags

. todas as tags

.Pesquisar neste blog

 

.Prendas Carinhosas

.Campanhas

blogs SAPO

.subscrever feeds